Mostrar mensagens com a etiqueta #Bioy Casares. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta #Bioy Casares. Mostrar todas as mensagens

agosto 02, 2014


Circle Limit II         M.C. Escher

1959 Woodcut in red and black, printed from 2 blocks. 378mm x 378mm.

"Quando entrámos achei a casa uma desordem, repassada de cheiro a tabaco e triste. Diana deixou-se cair num cadeirão, acocorou-se, abraçou uma perna, apoiou a cara contra o joelho, ficou de olhar perdido no vazio. Ao vê-la assim disse a mim, juro, que não poderia viver sem ela. Também, levado pelo entusiasmo, concebi pensamentos verdadeiramente extraordinários e dei em pensar: Que é Diana para mim? a sua alma? o seu corpo? Gosto dos olhos, da cara, das mãos, do odor das mãos e dos cabelos dela. Estes pensamentos, assevera-me Zeferina, atraem o castigo de Deus. Eu não creio que haja no mundo outra mulher com essa beleza de olhos. Não me canso de admirá-los. Imagino madrugadas como grutas de água e mergulho na ilusão de descobrir na sua profundidade a verdadeira alma de Diana. Uma alma maravilhosa, como aqueles olhos."
Adolfo Bioy Casares
Dormir ao Sol

agosto 01, 2014

Adolfo Bioy Casares


ROMANIA. 1968. © Josef Koudelka / Magnum Photos


"Uma coisa fiquei a saber: é falso que alguém se entenda falando."

Adolfo Bioy Casares,  Dormir ao Sol
Editorial Estampa

julho 17, 2014

Bioy Casares

"Disse para si próprio que imediatamente ao chegar à ilha começaria o estudo. Logo ponderou que estava muito cansado, que não seria capaz de se concentrar, que adormeceria sobre as páginas. O mais ajuizado era pôr o despertador para as três e dormir um soninho - isso sim, bem cómodo no catre - e depois, com a cabeça fresca, empreender a leitura. Melancolicamente, imaginou a campainhada, à hora destemperada. "Também não é caso para desanimar", pensou, "já que na ilha não me restará outro recurso a não ser estudar. Quando me apresentar a exame, estarei feito um campeão."
Da forma do mundo,
Bioy Casares