Mostrar mensagens com a etiqueta $PJ Harvey. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta $PJ Harvey. Mostrar todas as mensagens

outubro 01, 2016

setembro 27, 2015

©Harry Gruyaert. Mali. Town of Gao. 1988. Terrace of a local hotel.

PLAY PJ Harvey The dancer

MOLDURA VAZIA
Em toda a parte te encontro ansiando por emoldurar
Uma parte modesta da Sua imensidade,
Significando, suponho, uma data de céu
Da variedade azul e sem nuvens,
Sobre o velho cemitério, por exemplo,
Ou sobre a nova lixeira da cidade
Além da qual fica um campo e três espantalhos.

Um deles podia ser monge alemão, Eckkart,
Dizendo: "Se alguém nada procura,
Que direito tem a queixar-se de nada achar?"
Certo. Não havia um único melro
Vigiando o milho verde,
Por isso elevámos um pouco a moldura
Até onde o silêncio diz tudo.

Charles Simic (1938 - )
Previsão de tempo para utopia e arredores, Assírio&Alvim, 2002

agosto 19, 2015


Brincamos às vidas
e, na hora da morte,
damos água ao caule,
na esperança de reanimar
a flor.

abril 02, 2015

©Martine Franck. IRELAND. Donegal. Tory Island. 1995
PLAY PJ Harvey On Battleship Hill

como crianças de mãos dadas
bebendo votos de inocência
condenados a qualquer coisa de verdadeiro

setembro 07, 2014

©raquelsav

Ser sombra. Não marcar a areia. Depurar a matéria. Expurgar o excesso que nos faz sombra de nós. 
Ser leve ou, então, não ser.
                                                                              
The land returns to how it has always been
Thyme carried on the wind(...)
Cruel nature has won again