Mostrar mensagens com a etiqueta $Peteris Vasks. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta $Peteris Vasks. Mostrar todas as mensagens

setembro 29, 2015

PLAY Pēteris Vasks - Vox Amoris Chaarts  - Sebastian Bohren Fantasie für Violine und Streicher

DE TODAS AS FERIDAS
Lança-me aos pés do coração a luva do silêncio:
Só uma vez no Outono a pedra reverdece - foi ontem;
foi quando o sal nas ruas era tão vermelho,
tão vermelho que se pensaria que era chegada a hora
a que se acena com os véus da meia-noite:
o tempo-de-tulipas dessa hora
em que o desejo enche o copo de toda a gente,
o berço e o caixão de toda a gente,
as pegadas de toda a gente,
a hora que liberta o gelo do teu olhar,
te faz arregaçar a tua sombra
e arranca aos sinos o seu silêncio quando danças.

Lança-me aos pés do coração a luva do silêncio:
foi ontem
e jaz no sangue como nós dois.

Paul Celan
A morte é uma flor, Cotovia, 1998

março 07, 2015

©Mark Power. G.B. ENGLAND. Birmingham. All Saints Hospital. Closed ward.
 A Victorian asylum soon to be converted into a prison. (From the series 'The National Health- Mental Health'). 1998

Hoje- tempo do depois em lugar de princípio.
Ideia de sempre e ontem.
Sombra e vulto e rasto- imaginado e fixo à coisa que é de amar.
Lugar-ideia. Somente ideia.
Lugar-ausência. Somente lugar.
Lugar-ideia-ausência acima da coisa que é de amar.