Mostrar mensagens com a etiqueta $Wim Martens. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta $Wim Martens. Mostrar todas as mensagens

junho 23, 2015

©Francesca Woodman
PLAY Wim Mertens Gerausch
Pintar o mundo é escrever o orto do elemento,
é fabricar o pigmento primário: 
da textura da terra;
do aroma da água;
da aurora do fogo;
na distância do ar.

Pintar o mundo é erguer a essência da mão
ao fulgor do éter,
é pintar de branco e dar cor,
é lançar a vogal à terra e amanhá-la.

Pintar o mundo é beber do silêncio,
com que se desenha o poema e escreve a pintura.

Pintar o mundo é abrir a mão à paisagem 
e confiar que tudo, nela, se transfigura.



janeiro 09, 2015

©raquelsav. Ponte das três entradas
PLAY Wim Martens -Gerausch

ESTAR, à sombra
da chaga no ar.

Estar-para-ninguém-e-nada.
Incógnito,
só 
para ti.

Com tudo o que nisso tem lugar,
também sem
linguagem.

Paul Celan, Não Sabemos mesmo O Que Importa,  
Relógio D'Água, 2014